Start up! Artes Gráficas

Trabalhos feitos por profissionais com + de 10 anos de experiência em artes gráficas!

Principais sites de Notícia do Brasil

Rio Grande do Sul e Vale do Taquari (Lajeado e região)

Canva

O software online que veio para ficar!

Pokémon Go

O jogo!

Design Freelancer

Quais as etapas da venda de um projeto

Monitores

Qual o melhor monitor para designer gráfico?

E quando não existia Photoshop?

Veja como eram editadas as fotos

Contraste Edições Fotográficas

Convites, lembranças, foto produtos e muito mais... Confira!

quinta-feira, 2 de março de 2017

CONFIRA O NOVO LOGOTIPO DA NASCAR!


O novo logotipo da NASCAR abre a nossa saga de redesigns de 2017 com algumas lições importantes para seus futuros designs! : )

A NASCAR (National Association for Stock Car Auto Racing) gerencia todos os motosports americanos e sanciona 1200 corridas que rolam não só em 30 estados americanos, mas também no Canadá, México e até na Europa.
A base da NASCAR fica em Daytona (Florida), e tem gestão familiar desde que foi fundada em 1947. Tudo isso faz desta a liga mais assistida após a NFL!
E um grande público obviamente requer grandes cuidados com o design gráfico, por isso é chegado um novo logotipo:

O redesign da NASCAR esteve em desenvolvimento desde o início de 2016 e seu objetivo é homenagear a história da NASCAR [vídeo] ao encorporar elementos de todas suas gerações.
A nova marca é moderna, atemporal e abraça o legado do esporte, deixando-a concisa, relevante e funcional sem esquecer do nosso passado.
Eu ainda não vi a ligação do logo atual com os velhos, mas whatever: fazer um bom redesign requer apenas não esquecer da marca anterior!
E isso foi feito muito bem ao manter o formato original, porém com o bom-senso que faltou aos designers anteriores em 2 aspectos:
  1. As cores atrás das letras deixava a tipografia um tanto sufocada e incômoda.
  2. O espaçamento era ridículo… para mim, ter letras conectadas e outras separadas evidencia loucura.
Essas mudanças foram muito positivas, porém, o novo logotipo da NASCAR tem uma falha bem grave…

Note que as “faixas” antes do logo não têm boa espessura e espaçamento, além de agora terem cores – tudo isso resultou na perda de sensação de movimento que tínhamos claramente na marca anterior!
Talvez o problema seja o mal uso das cores, que as fez parecer itens isolados =/
De qualquer forma, foi um excelente redesign que deixou marca bem mais clean e contemporânea! E você, o que achou?
Fonte: http://www.temporalcerebral.com.br


E SE OS ANIMAIS DOS DESENHOS ANIMADOS FOSSEM HUMANOS?

Ver animais falantes e com personalidades bastante definidas é algo comum em desenhos e animações. Mas e se fôssemos representá-los em formas humanas?
Foi essa a proposta da ilustradora russa Astkhik Rakimova, que transformou personagens conhecidos como Timão e Pumba, Bob Esponja e o Pateta em seres-humanos.
Quer ver o resultado? Confira suas ilustrações:












Fonte: www.designerd.com.br

Uma loja onde se paga com criatividade

WHAT IF YOU CAN PAY 
WITH CREATIVITY?

Nos últimos anos a Bic vem demonstrando grande interesse pelo empoderamento criativo. A marca vem fazendo campanhas e ações ao redor do mundo pondo mentes criativas para trabalhar. Lembra do concurso Pire no Bic, não? Era só entrar no site e criar uma arte que poderia virar edição especial dos isqueiros Bic.

Trago à vocês uma ação criada pela agência Friendship para comemorar o sexagésimo aniversário da marca M10 Pen. A proposta era utilizar a criatividade como moeda de troca. Foram criadas pela Bic da França, lojas temporárias em Antuérpia e Amsterdã, que não aceitavam formas tradicionais de pagamento pelos seus produtos. Você poderia levar o que quisesse, desde que desenhasse nos pedaços de papéis – que simbolizavam as notas – distribuídos gratuitamente no estabelecimento. Estavam à venda canetas da edição especial Golden e diversos itens personalizáveis feitos de papelão (capas de smartphone, boomboxes, troféus, móveis, brinquedos e muito mais).

Segue imagens da ação, e o vídeo promocional.











Fonte: http://designculture.com.br

GARRAFA DE DON PAPA IMPRESSIONA COM DETALHES NO DESIGN


O novo design do Don Papa irá te inspirar pelos detalhes em sua padronagem e ilustração!
Isso porque este rum conhecido como The Don está comemorando 10 anos, o que obviamente merecia um design daqueles!
O rum celebra a história de Dionisio Magbuelas, um herói da Revolução Filipina conhecido como “Papa Isio”. Por isso, seus valores de liderança e liberdade inspiram essa grande bebida!
A grande vantagem do novo design não é o detalhamento em si (pois a garrafa antiga também tinha), mas sim em dar uma boa atualizada nela.
Na embalagem original, a cor da bebida combinada com o papel amarelado dava um aspecto velho a marca – que na verdade precisava de um feeling clássico (que é o que atrai público)!
Por isso agora temos um vinho com preto e branco básico, combinado com um detalhamento que é de se impressionar:


Fonte: http://www.temporalcerebral.com.br

Pixar disponibiliza gratuitamente curso online de storytelling


A produtora de animações Pixar, em parceria com a Khan Academy, disponibilizou a primeira parte da terceira temporada da série Pixar In A Boxuma espécie de curso gratuito sobre storytelling, por meio de vídeos e atividades.
Entre os profissionais confirmados nas aulas estão alguns responsáveis por grandes projetos da produtora. Pete Docter, diretor de “Up” e “Divertidamente”, Mark Andrews, diretor de “Valente”, Domee Shi, artista de storyboard de “Divertidamente’ e Sanjay Patel, animador de ‘Ratatouille’.
Já no primeiro episódio os internautas podem ter acesso a uma introdução sobre storytelling e a criação inicial de elementos como narrativa e personagem.
As próximas aulas devem ser liberadas ao longo do ano, e terão como tema a criação de personagens de forma mais específica, storyboarding e apelo emocional, entre outros assuntos.
Ficou interessado? Acesse o site oficial do curso.
Fonte: http://designconceitual.com.br

Taxi voador em Dubai e o futuro dos drones

Já imaginou ter o seu próprio drone pessoal para andar por aí?
Em Dubai isso será possível em um futuro muito próximo. O Ehang 184 é um drone leve que pode voar sem direção humana e pode ajudar a resolver o problema do transito em Dubai. O drone pode levar pessoas acima de 100 kg, uma mala pequena e pode ficar cerca de 23 minutos no ar. A sua alimentação é com base em eletricidade e ele pode chegar a 90km/h e voar a uma distância de 50 km.

Os profissionais envolvidos como designers e engenheiros do produto trabalharam duro para evitar que o sistema falhe, que seja seguro e também implementarão plataformas espalhadas pela cidade para permitir que o drone pouse em caso de falhas ou mal funcionamento.
O líder da agência de transportes em Dubai, Mattar al-Tayer diz que os canais que operam os drones são encriptados para minimizar riscos de serem hackeados. As especificações e capacidades dos drones são muito sólidas para a sua primeira geração deste tipo de veículos de transporte.

Desde o começo a tecnologia tem se transformado a cada ano que se passa e Dubai tem sido o palco de inúmeras e ousadas inovações tecnológicas do mundo moderno. Os drones vem ganhando espaço como forma de solucionar problemas existentes como tirar fotos aéreas ou até mapear áreas de difícil acesso em lugares geograficamente desconhecidos. Apesar de ser um polo de luxo e coisas novas, Dubai tem um alto índice de mortes em rodovias além de um tráfego intenso.
O Taxi Voador já está pronto para ser usado.
É notável que as pessoas que vivem em Dubai tem uma percepção diferente de tecnologia do resto do mundo. A cidade já começou a trabalhar em coisas que para o restante do mundo levará alguns anos para ser implementado.
É previsto que esteja disponível o acesso aos drones em julho deste ano pois não está claro quanto irá custar essa experiência ou quem estará disposto a pagar por isso. O futuro dos transportes já chegou e é mais louco do que foi previsto.
Este post foi originalmente publicado no site Future Tech Magazine.
Fonte:http://designculture.com.br

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Start up! Artes Gráficas 3D - Lajeado/RS





Quem somos

Trabalhamos em Home Office na cidade de Lajeado/RS.
A Start up! Artes Gráficas 3D é uma empresa voltada para artes gráficas e impressos gráficos.
Com profissionais altamente capacitados, buscamos ao máximo a excelência em nossos trabalhos.

Entregamos nossos impressos para todo o Brasil com frete grátis. 
Trabalhamos com arte final para vários países sem custo adicional!

Somos especialistas em:
- Logotipos 2D e 3D
- Artes para embalagens
- Cartões de visita
- Adesivos
- Banners
- Flyers
- Imãs de geladeira
- Pastas
- Receituários
- Artes gráficas em geral
- Toda parte de propaganda impressa

- Artes para redes sociais


Quando precisar de algum impresso gráfico ou arte, fale conosco! Envie um e-mail para artes.startup@gmail.com e peça um orçamento sem compromisso.











Qualidade garantida

A cada novo trabalho que nos é passado, nos sentimos responsáveis por inovar e criar diferenciais.

Muito além de qualquer coisa, deve-se fazer um trabalho respeitando a ideia do cliente mas sem deixar de lado o fator qualidade. Pois de nada adiantaria o cliente ficar satisfeito com o trabalho que realizamos e ele não obter sucesso.

Pensando nisso fizemos algo mais que nosso trabalho, pensamos no futuro de nosso cliente. O sucesso de nosso cliente, com certeza é o nosso sucesso.
A qualidade é fundamental elemento em nossos trabalhos.


Contatos: artes.startup@gmail.com


quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

5 Dicas para Criar Emails que Sejam Lidos


Sabe durante quanto tempo um leitor vê o seu email? Segundo Jakob Nielsen, perito em usabilidade na web, os utilizadores passam, em média, cerca de 50 segundos a ler o nosso email. Cada vez mais lemos e processamos os emails em alta velocidade. Por vezes temos a caixa de entrada inundada com mensagens para resolver, e de forma a termos tempo suficiente para desempenhar as outras nossas tarefas, temos de nos tornar eficientes a lidar com o email que recebemos. O que é que se pode fazer de forma a que a mensagem que queremos transmitir por email atraia a atenção do leitor para que ele não se sinta tentado a carregar logo na tecla delete?
A próxima vez que estiver usando sua ferramenta de email marketing, utilize estas 5 dicas para criar emails que mantenham os seus leitores envolvidos com a sua mensagem e o seu conteúdo.

1. UMA ESTRUTURA SÓLIDA

Para ver as árvores, primeiro é preciso ver a floresta. Comece com o panorama geral para conseguir delinear a estrutura básica da sua mensagem. Desenvolva a hierarquia da sua informação ao determinar os seguintes pontos:
  • Qual é a informação específica mais importante?
  • Este é o conceito principal que quer que o seu leitor perceba do seu email. Qual é o seu conceito principal a ser transmitido?
  • Qual é a segunda informação mais importante?
  • Pode ser algum tipo de notícia secundária, ou promoção contínua, ou produtos permanentes que tem para vender, ou uma lista de serviços, etc
  • Qual é a informação menos importante? Esta poderá ser informação de contactos e direitos de autor (copyright), termos de serviço e outros do género.
Quando desenhar e implementar o layout da sua newsletter, escolha entre uma ou duas colunas. Uma coluna poderá facilitar a atenção do utilizador ao centro, no entanto, duas colunas não fica necessariamente atrás se conseguir colocar o seu conteúdo de forma organizada. Se optar por duas colunas, lembre-se que no mundo ocidental lemos da esquerda para a direita, portanto os tópicos mais importantes deverão estar do lado esquerdo do ecrã, porque é para aí que os olhos do leitor irão. É possível criar por si mesmo a sua própria newsletter de email em HTML.

2. USE IMAGENS, MAS NÃO ABUSE

As imagens atraem a atenção do leitor, mas fazem com que os emails levem mais tempo a carregar, portanto use-as moderadamente. Vários recipientes de email têm as imagens desabilitadas. Poderão permitir HTML, mas não as imagens de forma automática, como é o caso do Gmail, onde normalmente é necessário permitir ver as imagens. Certifique-se que a sua mensagem de email pode ser entendida se as suas imagens não forem visíveis à partida. Para tal, adicione uma descrição “Alt” e “Title” a cada imagem.
Desta forma, se o leitor não conseguir ver a imagem, ele poderá ao menos ler uma descrição da mesma. Se as imagens desempenharem um papel importante no seu email, adicione uma pequena frase na imagem de cabeçalho de email que mencione algo do género: “Para melhor visualização, por favor habilite as imagens neste email”. Note como essa frase só irá aparecer se o utilizador tiver as imagens desabilitadas, o que os irá levar a habilitar o modo de imagens.

3. NÃO COMPLIQUE NO DESIGN

No seu cliente de email, quando está a escrever uma mensagem, você tem acesso a várias fontes e cores que pode escolher. Não complique. Escolha uma cor escura e neutral, do género um cinza escuro ou preto para usar pelo menos no corpo de texto e introdução. Estas serão as áreas de maior importância, que irão dar o contraste com outras cores que poderá usar noutras áreas de menor importância.
Nestas, use um fundo mais claro para ter menos contraste, mas tenha em atenção para que o contraste ainda assim seja suficiente para que o texto nessas áreas seja inteligível o suficiente. Ao tornar estas áreas secundárias com menor contraste, vai significar que os olhos do leitor irão para as áreas principais, aquelas que têm o maior destaque, e depois irão deslocar-se só para as áreas de menor contraste.
Lembre-se de usar um tipo de cor apenas para o seu texto de hyperlink. Enquanto que o texto normal poderá ser um cinza escuro ou preto, o texto dos hyperlinks deverá ser o azul padrão, ou então a cor do seu branding ou logótipo, para ser coerente com a sua marca ou website.

4. MANTENHA OS EMAILS CURTOS

Se o leitor apenas lê o seu email durante 50 segundos, então não terá muito tempo para ler a sua mensagem. Pense na sua mensagem como um sumário, e imagine que é um jornalista: faça a cobertura da história principal, dê alguns factos que suportem a mesma, e faça um apanhado da coisa com um apelo à ação para dar a entender ao leitor o que eles podem fazer a seguir.

5. NÃO USE CAPSLOCK

Evite usar letras de caixa alta (caps lock) nos seus emails. Primeiro, porque representa como se fosse uma pessoa a gritar, o que é grosseiro. E segundo, torna-se difícil de ler, porque o ritmo normal de texto inclui letras de caixa alta e letras de caixa baixa. Imagine ler um livro todo com LETRAS DE CAIXA ALTA.
Seria altamente desconfortável para os olhos. Usar letras de caixa alta torna mais lento o processo de leitura, que é o contrário daquilo que queremos fazer. Use estas dicas para criar um email que seja lido pelo seu leitor e que o ajude a obter mais tempo de leitura e envolvimento consigo.
Fonte: http://www.designculture.com.br/

Que tal alguns Quadrinhos Ácidos?!









Fonte: http://www.quadrinhosacidos.com.br/

COMO DESIGNERS DEVEM LIDAR COM CLIENTES CHATOS?



O cliente nos enriquece tanto quanto nos adoece… Como não enfartar com eles?
Quem responde é Carl Heaton, um famoso webdesigner há já 18 anos e criador de diversos trabalhos de UX Design de alto nível.
Nesses 18 anos, ele obviamente vivenciou muitas desgraças com os clientes – e decidiu dividir isso com o mundo! Então aproveite essa assessoria gratuita aí ; )

Seja direto!

Neste primeiro contato, que para muitos é preferível que seja por e-mail, aproxime-se da seguinte maneira:
“Prezado Sr. Cliente Chato,
Obrigado pelo seu interesse em nosso trabalho. Poderia nos dizer como nos achou?”
Com esse email você já terá uma noção do quanto o cliente pode pagar, por exemplo!
Portanto, pegue o maior número de informações que você puder nos primeiros contatos – mas cuidado para não ser apressado e curioso, pois você pode acabar espantando o cliente.
Nesse primeiro teste, você saberá se esse é um cliente com o qual você deve trabalhar; percebendo se ele realmente irá valorizar o seu trabalho e fazer uma negociação justa e honesta.
Importante: lembre-se que emails são considerados documentos jurídicos. O que alí for combinado, pode ser levado a juízo por ambas as partes se necessário.

Eu não posso perder esse projeto!

Frequentemente esses clientes acabam caindo fora, mas acabam retornando!
E muitas vezes retornam bem mais humildes e – e se Odin quiser -, já cientes que estão falando com um profissional sério e finalmente irá respeitá-lo.
“Tenho a impressão que eles pensam que nós ficamos à toa no computador ouvindo música e tudo é feito num passe de mágica!”

O formulário

Mande o e-mail exigindo com clareza os seguintes aspectos:
  • Briefing, como você bem conhece
    Prazo
    Orçamento
Se o cliente se recusar a preencher o formulário, talvez seja a hora de partir!
Por quê? Oras, ele não está levando nem o seu trabalho e nem o seu profissionalismo a sério. Talvez ele realmente pense que você é um mago e não um designer!
Pense: se ele estivesse lidando com um médico, ele ocultaria algo? Deixaria de informar sintomas? Por que você também não é digno de atenção como outros profissionais?
Mas sempre seja cortês: recomende a ele algum outro profissional que possa ajudar (ou arranje uma ótima desculpa)!
Mais do que profissionalismo, também é uma atitude inteligente que pode fazer esse cliente chato refletir no porquê ele foi recusado e, quem sabe, voltarem atrás.

Caso passe da fase do formulário…

Você deve encontrar o cliente, num bom ambiente, e você deve OUVIR o cliente – esse é a principal dica.
O designer NÃO deve jamais tentar empurrar um projeto no cliente!
Muitos designer pensam que o cliente não sabe nada do que quer… Mas quem sabe do negócio dele mais que ele? Você e o seu nankin?
Seja humilde e aprenda com o seu cliente, de forma que você possa adaptar suas habilidades e talentos as necessidades do cliente chato.
Após esse encontro, você terá uma ideia clara do projeto, como o nível de qualidade esperada – no caso de webdesign, você já pode sair com um sitemap, diz Heaton.

O grande teste!

É a hora de pegar o pagamento inicial; é nessa hora que você terá certeza se realmente vale a pena manter este cliente (ou se é uma grande furada).
“Pense: se ele não pode fazer um depósito inicial, por que ele pagaria o resto do projeto como deveria?”
Não aceite promessas, “propagandas” ou qualquer coisa do tipo; o teu contrato já deve conter uma cláusula de pagamento inicial (e dos outros, o qual você irá usar para lembrar o cliente em caso de problemas).
Ele pagou para começar? Então talvez ele não seja um cliente chato assim!

O projeto decola!

Comece seu projeto com muita dedicação, até que você possa enviar uma boa proposta inicial ao seu cliente; assim que ele aprovar esse trabalho, peça uma confirmação clara (no e-mail, para servir de prova) de que o projeto deve continuar!
Para uma boa comunicação, Carl recomenda não só e-mail, mas uma confirmação cara-a-cara ou por Skype!
E lembre-se: tudo o que for proposto deve ser mutualmente benéfico!
Não aceite propostas que não te agradam e que fatalmente irão minar sua dedicação ao projeto de alguma maneira!

Mudanças, mudanças é mais mudanças!

Sempre há o risco do cliente nunca estar satisfeito, o que tomará o tempo que você poderia estar usando para ganhar dinheiro e jogar Pokémon Go!
Lembre-se que você é uma empresa (mesmo que seja de uma pessoa só)!
O seu contrato deve esclarecer a quantidade de mudanças permitidas (como 3, por exemplo); caso mudanças adicionais sejam feitas, o contrato deve estipular um valor a ser cobrado – muitas vezes em horas!
Isso não só irá desestimular a insatisfação do cliente, como vai te liberar para um próximo job ou quem sabe até ganhar um dinheiro extra com esse mala :P

Chegamos ao fim!

É importante que o cliente nunca receba o resultado final do projeto sem antes pagar por ele, garantindo que dores de cabeça não ocorrerão!
Muitos não consideram isso realmente importante, mas se você não exigir isso em seu contrato, certamente você levará algumas “pernadas” até aprender que deve cobrar pelo arquivo final!

E você, o que já teve aturar de cliente chato? Compartilhe, pois sua opinião pode ajudar muita gente!


Fonte: http://www.temporalcerebral.com.br/

A importância de ter um contrato de confidencialidade na sua empresa


Na linguagem da vovó estamos falando do velho chavão “o segredo é a alma do negócio.” E você não imagina quantos segredos há na alma dos empreendimentos de sucesso. Se você preferir, pode também chamar de “o pulo do gato”, o importante é estar ciente que o que faz do seu negócio algo de sucesso ainda que você esteja no mesmo ramo de milhares de outros empresários falidos não pode e nem deve ser de domínio público.

Por que exigir confidencialidade dos seus colaboradores?

Quando se tem talento para algo, as ideias mais geniais surgem na cabeça do empreendedor de forma natural e, por isso, parecem bobas, comuns e até mesmo sem importância. Não se engane! Muitas vezes é a azeitona misturada  ao recheio da coxinha que faz o buffet da sua vizinha ter muito mais clientes do que outros que não atentaram para esse detalhe.
É claro que a azeitona na coxinha é uma metáfora, mas, o que torna o seu negócio diferenciado em relação aos demais deve ser mantido em segredo por uma razão simples: Se for descoberto o seu segredo qual será o diferencial do seu negócio?
Eu mesma já tive que assinar um contrato desses tamanha a especificidade das estratégias de marketing para encantar clientes de uma empresa em que trabalhei. Tudo era pensado de uma maneira única, criada e voltada para a marca com metodologia exclusiva de abordagem, técnicas de vendas, programação visual, reuniões com clientes. E isso se renovava a cada seis meses. Sem dúvida foi um daqueles trabalhos que te ensinam para o resto da vida.

O que deve ser ou não confidencial?

O meu lado filha única exclusivista grita que tudo deve ser mantido em segredo. Mas, não é bem assim. O que deve ser primeiramente analisado é o impacto que o vazamento de certas informações da sua empresa pode causar. Porque, além de fornecer armas para a concorrência, esse vazamento pode expor a sua empresa a imbróglios como questionamentos dos famosos “críticos de tudo” que, a depender de como são feitos e divulgados podem abalar a sólida imagem arduamente construída ao longo dos anos.
Portanto, é importante especificar o que é confidencial dentro do seu negócio e detalhar a informação ao máximo. Até porque o seu funcionário de hoje, pode ser seu concorrente amanhã e se a informação a ser mantida em sigilo requer patentes e tudo mais, não marque bobeira e procure um advogado.
No contrato o termo confidencialidade deve ser explícito como sendo algo que abrange todos os tipos de comunicação, incluindo a verbal, porque, quem conta um conto aumenta um ponto mas não esquece o conto. Seja método, tecnologia, estrutura organizacional ou o que for. Se você julga que este ou aquele detalhe do seu negócio é o que faz dele um sucesso, não tenha dúvidas e exija total sigilo a respeito. E por escrito.

Das penalidades por quebra de sigilo

As formas de pagar pelo erro devem estar explícitas também no contrato. É possível exigir o pagamento de uma multa pré-fixada além da dispensa por justa causa, claro. O ressarcimento dos prejuízos causados à empresa pelo vazamento da informação e ainda uma indenização pela quebra do devido sigilo. Se a penalidade escolhida for o ressarcimento dos lucros perdidos a empresa fica comprometida a comprovar tais prejuízos.

E o prazo de validade?

Bem, tudo depende do tipo de informação a ser mantida em sigilo. Dados financeiros por exemplo, tem um contrato de confidencialidade que pode expirar assim que a empresa declarar seus ganhos no final do ano. Porém, metodologias de trabalho e rotinas corporativas específicas podem ser mantidas em segredo para sempre, desde que o funcionário assine um contrato que conste isso, ou seja, uma cláusula que diga que, mesmo que não esteja mais trabalhando na empresa ele não está autorizado a divulgar tais informações.
Eu assinei um desses que dizia que mesmo depois de ter trabalhado lá (por 5 anos), se divulgasse qualquer uma das práticas constantes do manual de normas e procedimentos da empresa, pagaria uma multa nada barata. Mas eu adorava trabalhar lá…

Fonte: http://www.carreirasolo.org/
Postagens mais antigas → Página inicial